terça-feira, 28 de outubro de 2014

Resenha n° 02 - Os Treze Porquês - Jay Asher

Título: Os Treze Porquês.
Autor: Jay Asher
Editora: Ática
Páginas: 256
Classificação: 5 estrelas e favoritado

Sinopse: Ao voltar da escola, Clay Jensen encontra um misterioso pacote com várias fitas cassetes. Ele ouve as gravações e se dá conta de que foram feitas por uma colega de classe que cometeu suicídio duas semanas antes. Nas fitas, ela explica que 13 motivos a levaram à decisão de se matar. Clay é um deles. Agora ele precisa ouvir tudo até o fim para descobrir como contribuiu para esse trágico acontecimento.









Em um dia comum Clay Jensen encontra em sua porta uma caixa com seu nome, sem nenhum remetente. Dentro dessa caixa haviam 7 fitas cassete, todas com marcações em cada um de seus lados, uma numeração de 1 a 13. E, assim que colocou a primeira fita para tocar sua vida mudou.

A voz que ele reconheceu nas fitas pertencia a Hannah Baker, sua colega de escola, pela qual ele era apaixonado e que cometeu suicídio apenas duas semanas antes. Cada um daqueles 13 lados das fitas continha um nome, uma pessoa, uma história. Cada uma daquelas histórias contadas por Hannah são os motivos pelos quais ela cometeu suicídio e só quem sabe disso são as pessoas que ela escolheu para ouvir aquelas fitas, protagonistas de cada história e que de uma forma ou outra contribuíram para a decisão dela. quem recebe a fita, tem duas obrigações:

1 ª- escutá-la

2 ª - Repassa-la para a pessoa citada após você na ordem das histórias..

Se me contassem os motivos que levaram ao suicídio de Hannah Baker, eu provavelmente diria que não passou de drama de uma adolescente. Mas lendo este livro (6 vezes) conhecendo Hannah, descobrindo os sentimentos de Clay, você percebe que um motivo bobo, ao se acumular com uma dúzia de motivos, se torna o estopim para o colapso de Hannah. E o pior de tudo é você ler o livro pensando na menina que tinha salvação e se lembrar de que ela morreu. você já sabe que Hannah está morta e não dá para fazer mais nada por isso. Então, mesmo ela estando presente em toda a narração, ela não está ali. Mas você quer que aconteça alguma coisa… Qualquer coisa…Que a traga de volta e diga: “pegadinha do malando, a Hannah tá viva!”, mais infelizmente isso não acontece.

A cada fita, um frio na barriga, o Jay Asher (autor do livro) faz questão de passar os mínimos detalhes da aflição de Clay, que aparenta estar perturbado com tudo que está ocorrendo em sua cabeça. o livro te prende do inicio ao final.

É um ótimo livro para fazer os leitores repensarem no que seus atos resultam para uma outra pessoa, isso me deixou uma lição: não faça com os outros o que você não deseja que façam com você. Trate todo mundo bem se você quer ser tratado assim. Afinal, você nunca sabe o que se passa na cabeça dos outros.

" Você não pode interromper o futuro, nem modificar o passado. O único jeito de descobrir este segredo é apertando play'' - Os Treze Porquês.

Observação: essa resenha foi escrita pela Amanda.