domingo, 22 de março de 2015

Crítica n° 01 - O Caso dos Dez Negrinhos (Peça de Teatro)

E o sonho de uma vida se concretizou...
Ao ter o conhecimento que um dos livros mais famosos da Agatha Christie seria encenada em São Paulo, não sosseguei enquanto não fui conferir o espetáculo.
A Companhia London é a responsável pela adaptação brasileira e, a peça está em cartaz às sextas, sábados e domingos às 20 hs, até o final do mês de março.

Essa peça foi adaptada pela própria Agatha Christie para o teatro e, por decidir assisti-la, reli o livro para relembrar os detalhes, a resenha pode ser conferida aqui.

Informações Úteis

O Caso dos Dez Negrinhos

Onde: Teatro Brigadeiro. Av.Brigadeiro Luis Antonio, 884 São Paulo – SP
Quando: Sextas | Sábados | Domingos às 20h00
Duração: 1h45min

Sinopse

Oito pessoas vão passar alguns dias em uma ilha, onde já estão dois empregados, sendo que essas 10 pessoas não conhecem o anfitrião. Após o primeiro jantar, são confrontados por uma voz misteriosa, vindo de uma gravação, acusando-os de ter cometido assassinatos nos seus passados e, logo após, começam a ser assassinadas. Procuram na ilha por possíveis esconderijos e ao constatar que não há mais ninguém na mesma exceto eles, começam a trocar informações e acusações, pois dentre eles está o cruel assassino que segue à risca uma canção de ninar, colocada na lareira.

Como fã de Agatha Christie, não poderia perder a oportunidade de conferir uma adaptação teatral de um dos melhores livros da Dama do Crime. Mesmo morando no interior do estado, fui até a capital duas vezes para conferir.

O texto foi originalmente adaptado pela própria autora, tendo alterado alguns detalhes para melhor se adequar aos palcos. E que foi magistralmente seguido nessa versão brasileira.

O cenário é simples e bem montado, basicamente um ambiente com algumas perspectivas de outros ligados ao principal: sala de visitas. Os personagens foram muito bem construídos pelos atores, que souberam conduzir com maestria a apresentação de cada um à plateia.

A primeira vez em que assisti, estava numa posição privilegiada, então acompanhei cada movimento, com plena convicção de que, se tivesse alguém me filmando, teria captado os brilhos nos olhos de uma fã incondicional da obra da Rainha do Crime, tendo parecido sonhando e se imaginando inserida no meio do palco juntamente com os demais personagens.

Era tanta emoção aflorando que nem ao menos percebia o tempo passando, tentava lembrar a ordem exata das mortes, para focar a atenção nos atores e onde os demais estavam.

O texto ficou bem fluído, com leves toques de humor, os atores muito bem ensaiados, com uma entonação ótima, trejeitos, olhares, expressões faciais, vestuário, enfim... não é por ser fã da obra da autora, mas não tive do que reclamar. A diversão foi tão garantida que fui obrigada a voltar e levar amigas para confirmar o quanto está imperdível.

E o final da peça é diferente do livro, sem spoiler, um dos grandes comentários dos espectadores, pois vários não sabiam que foi a própria Agatha a mudar o final da peça, quem já leu o livro, sabe bem o porquê disso.

E o carisma dos atores que interpretam os personagens do Lombardi e Vera, me encantaram ao assistir a peça e mais ainda ao conversar após o espetáculo.

Se mora ou tem oportunidade de ir até São Paulo no próximo final de semana, se programe para assistir a peça, sinto por ter demorado a dar essa dica, mas não se arrependerão de curtir uma peça de um livro tão sensacional como esse e tão polêmico quanto.

E quem sabe, vamos torcer para a Companhia London se inspirar e trazer outras montagens de alguma outra obra da genial Agatha Christie.